ByteBites – Dirty John

A história de Joe Goldberg e Guinevere Beck em You foi um grande sucesso o qual garantiu uma segunda temporada para a série. Seguindo a mesma linha, a Netflix lançou Dirty John que é uma história  semelhante à de You; todavia, o mais assustador, e o grande diferencial da trama, é ela ser baseada em fatos reais. Você perceberá que, em diversos momentos do texto, haverá comparações com You, tendo em vista as similaridades de ambas as narrativas.

Debra Newell (Connie Britton) é uma designer de interiores muito bem sucedida que passou por quatro casamentos. Ao conhecer o atraente “médico” John Meehan (Eric Bana), ambos iniciam, precocemente, em um relacionamento, fato que enfurece a família de Debra que desconfia das intenções de Meehan. Mentiras constantes e comportamentos anormais instigam as filhas da designer a investigar John, descobrindo que o passado dele está relacionado a perseguições e golpes.

O mais intrigante da série é ela ser baseada em fatos reais. Assim como em You, há o sentimento angustiante de toda a situação ser totalmente plausível nos dias atuais, entretanto o incômodo é agravado por ser uma história verídica. No final de cada episódio, você fica pensando que todo sofrimento passado pela protagonista pode acontecer com qualquer pessoa. A reação dela diante da situação  parece ser equivocada, no entanto não é cabível um julgamento: ela é motivada não só pela paixão, mas também por um medo de ficar só; e, isso, faz com que ela constantemente justifique qualquer atitude ou ação do passado, a qual John esteja envolvido.

A atuação dos atores está impecável com ambos os protagonistas exercendo seus papéis com maestria. Enquanto Eric Bana entrelaça suas feições entre um maníaco perseguidor e um atraente “médico”, Connie Britton mantém as feições de uma mulher apaixonada que não quer acreditar que se relacionou com um impostor. Além disso, temos todo círculo familiar de Debra, principalmente suas filhas, ambas as atrizes atuam extremamente bem; todavia o maior destaque vai para Verônica Newell, vivida por Juno Temple, que conseguiu transformar uma garota mimada em alguém extremamente corajosa e disposta a proteger a mãe a qual se envolve com  um aproveitador.

Mesmo com uma história interessante e densa, Dirty John peca na narrativa cansativa. Os eventos são enrolados e, em alguns casos, repetitivos e desnecessários. É preciso manter-se fiel à história real, entretanto certos acontecimentos poderiam ser cortados com intuito de manter a trama mais fluída.  Fato que não acontece em You, tendo em vista que a narração do protagonista torna a narrativa ainda mais instigante.

Dirty John é uma história instigante, mas por mais que não tenha recebido  o devido reconhecimento como no caso de You, apresenta uma  história verídica que poderia servir de alerta para as mulheres que sofrem com relacionamentos abusivos.

Selo Byte de qualidade:

vitoriamollerke@gmail.com'

Amante de Game of Thrones, Supernatural, Mr.Robot, de personagens complexos e de tudo que tenha uma boa história. Mais Geek do que Nerd. Livros e filmes são paixões, mas séries são o grande amor da vida. Entre os pecados capitais o favorito é a gula. Escolheu o jornalismo pela pouca quantidade de números.

Deixe uma resposta