Aquecimento Ultimato – O Demônio na Garrafa de Tony Stark

No segundo episódio da nossa série de aquecimento para o lançamento de Vingadores: Ultimato, falaremos sobre o passado sombrio e relativamente desconhecido de Tony Stark e seu vício em bebidas. [PODE CONTER SPOILERS]

A mais famosa capa do arco

 

Eu sei, ele é muito rico, anda rodeado de mulheres, é super inteligente e bem, ele É o Homem de Ferro, então talvez seja difícil ter pena de um cara que tem tudo. Peter Parker, Bruce Banner e Frank Castle enfrentam problemas muito maiores diariamente, não? Pois é, isso está para mudar.

No final da década de 70, o arco “O Demônio na Garrafa” foi lançado. Nele, Stark enfrentava um grave quadro de alcoolismo. Nosso querido Tony foi cercado de problemas com a sua empresa. Ele começa bebndo socialmente, tal qual esperado de um homem na sua posição, frequentador de inúmeras festas e coquetéis. O típico cara que afrouxa a gravata e senta com seu uísque quando precisa resolver alguma treta mundial.

 

Além de ter que viver com as obrigações de ser o Homem de Ferro, os problemas se somam cada vez mais rápido, e o copo se torna um companheiro cada vez mais frequente na vida de Tony. A S.H.I.E.L.D. passa a assumir o controle da Stark International, já que o alcoolizado e passivo Tony só consegue encher a cara e fazer besteiras (como humilhar seu mordomo Jarvis ao ponto do mesmo pedir demissão).

A carta de demissão de Jarvis

 

Enquanto o arco se desenrola, até sua empresa é perdida para seu inimigo Obadiah Stane (Monge de Ferro), além disso, a bebida leva Stark até mesmo a realizar partos em um beco sujo no rigoroso inverno de Nova York. Essa experiência serve para abrir os olhos do heróis e o faz ver que o seu maior vilão é ele próprio.

A última (e poderosa) capa do arco.



lucascthulhu@gmail.com'

Apesar de odiar tirar fotos, Lucas é um cara simples: Se algo pode fazê-lo rir, chorar ou se arrepiar, ele estará lá. Amante dos trabalhos de Junji Ito e de cookies, ele prefere canetas do que teclados na hora de escrever, além de gostar de retrucar a opinião de técnicos profissionais de futebol americano no seu tempo livre (mesmo sabendo que eles são profissionais). Ele odeia falar de si próprio na terceira pessoa, mas pode abrir exceções de vez em quando. (sacaram o que eu fiz aqui? xD)

Deixe uma resposta