ByteBites – Hunters

Meryl Streep (Big Little Lies), Jason Bateman (Ozark) e Julia Roberts (Homecoming) são alguns dos exemplos de figurões de Hollywood que migraram das grandes telonas do cinema para o universo seriado. Agora, chegou a vez de Al Pacino desbravar esse rico universo com a nova série da Amazon Prime, Hunters. Uma obra magnífica que impressiona pela história, personagens e pela extrema qualidade técnica.

Na história Al Pacino, nosso eterno Michael Corleone, vive o judeu, sobrevivente do holocausto, Meyer Offerman. Com o intuito de vingar as 11 milhões de mortes ocorridas durante a Segunda Guerra Mundial, Meyer junta um esquadrão de indivíduos únicos para caçar nazistas que estejam escondidos em solo americano. Durante essa cruzada, ele irá cruzar com o jovem, e protagonista da trama, Jonah Heidelbaum (Logan Lerman).

O primeiro ponto interessante da série é a extensão de seus episódios. O piloto contém uma hora e meia de duração com o restante dos episódios contendo, em média, de uma hora. O próprio Al Pacino comenta sobre a extensão dos episódios de Hunters: “Nunca fiz essa coisa de 10 episódios longos. Então acho que é como fazer um filme de 12 horas, porque são cerca de 12 horas de filme”.

O elenco da série é outro fator fenomenal. Cada um dos caçadores possui suas características específicas e extremamente peculiares, mas que ao se juntarem apresentam uma química incrível. Além disso, os personagens secundários como a Roxy Jones -ativista do movimento negro-, Lonny Flash -uma subcelebridade- e Harriet – uma freira – são exemplos de indivíduos que compõe os hunters que num primeiro momento possuem uma certa dose de humor, mas que no decorrer dos episódios são mostrados como figuras complexas e repletas de camadas.

Visualmente, a série apresenta uma estilística extremante bela. Ambientada em 1970, a trama possui uma inspiração no chamado cinema apelativo, o exploitation, que basicamente eram obras de baixo orçamento, mas que geravam grandes lucros graças ao seu excesso de sexo e violência. Hunters, claramente investe no segmento da violência e utiliza como referência as obras de Quentin Tarantino como Bastardos Inglórios e até mesmo o seu mais novo filme, Era Uma Vez Em…Hollywood.

Entretanto, o ponto máximo da nova série da Amazon Prime está com toda certeza na reviravolta e no grande plot twist apresentado no último episódio.  A trama vai aos poucos construído sua ambientação, para que no fim as expectativas do telespectador estejam altas, sendo totalmente atendidas por um final surpreendente.

Selo Byte de qualidadee:

vitoriamollerke@gmail.com'

Amante de Game of Thrones, Supernatural, Mr.Robot, de personagens complexos e de tudo que tenha uma boa história. Mais Geek do que Nerd. Livros e filmes são paixões, mas séries são o grande amor da vida. Entre os pecados capitais o favorito é a gula. Escolheu o jornalismo pela pouca quantidade de números.

Deixe uma resposta